Recuperar Arquivos – Perguntas e Respostas (FAQ)

img-1

Este FAQ se destina apenas aos casos de problemas com arquivos em situações em que o computador e o dispositivo de armazenamento estão funcionando normalmente.

Para problemas com dispositivos de armazenamento ou partições clique aqui.

Para problemas em Servidores ou Sistemas Raid clique aqui.

01. O que é recuperação de arquivos?

Recuperação de arquivos é um processo para reconstruir arquivos que foram perdidos em situações diversas em dispositivos de armazenamento de dados. Os arquivos podem ser recuperados, reconstruídos ou reparados através da manipulação de setores e partições de um dispositivo de armazenamento.

02. Quais os tipos mais comuns de perda de arquivos?

A perda de dados em arquivos pode ocorrer por diversas formas. As mais comuns são:

  • Exclusão de Arquivos;
  • Corrupção de Arquivos;
  • Ataque de Virus;
  • Invasão de Computadores;
  • Mal funcionamento de sistemas;
  • Mal funcionamento de Dispositivos de armazenamento de dados;
  • Mídias com setores danificados (Bad Block);

03. Em quais situações é possível recuperar arquivos perdidos?

Na maioria dos casos é possível recuperar arquivos perdidos. Porém existem muitas variáveis que podem determinar o sucesso ou fracasso da recuperação. Para saber se um arquivo pode ser recuperado ou não, algumas perguntas precisam ser respondidas. Dentre elas podemos citar:

  • O que foi feito após a exclusão?
  • A quanto tempo o arquivo foi perdido ou deletado?
  • Houve alguma tentativa para recuperar arquivos? Quais?
  • Quais os dados foram gravados na unidade após a exclusão?
  • A Unidade foi formatada?
  • O Sistema Operacional foi reinstalado?

04. Em quais situações não é possível recuperar arquivos?

Existem poucas situações onde arquivos não pode ser recuperado. A principal delas é a sobreescrição de dados. Ou seja, se o setor em que um arquivo estava gravado for sobreescrito por outra informação, o arquivo não poderá ser recuperado. Para exemplificar melhor imaginemos a seguinte situação:

” Você sai de férias e faz a viagem dos sonhos. Na viagem você tira inúmeras fotos de todos os lugares por onde passou. Ao retornar, seu filho precisa da câmera para registrar os momentos inesquecíveis de um show de rock da sua banda preferida. Ao chegar no show de rock, depois de tirar umas 3 fotos, seu filho percebe que o cartão está cheio. Seu filho tenta entrar em contato com você para perguntar se você já fez o backup, porém o barulho do som com os seus 120 decebeis initerruptos não é possível entender nada na ligação. Daí seu filho pensa: “Meu brother é alguém precavido, com certeza ele já fez a cópia das fotos para o PC e afinal de contas não posso perder as fotos da minha banda favorita”. Daí formata o cartão, pau na máquina e foto pra quem te quero. O cartão é totalmente preenchidos com as novas fotos tiradas no show de rock.”

Neste caso será impossível recuperar as fotos da viagem, pois todos os setores do cartão foram sobrescritos pelas fotos do show de rock. O fato do cartão ter sido formatado foi algo grave, mas ainda seria possível recuperar arquivos se somente tivesse ocorrido a formatação.

Em um disco rígido, mesmo que um arquivo tenha sido sobreposto, talvez seja possível recuperar alguma cópia desatualizada do arquivo. Pois quando editamos arquivos de texto ou planilhas, o Windows pode gerar várias cópias destes arquivos em diretórios temporários.
O local onde o Windows armazena este arquivo normalmente é: C:\Documents and Settings\nome do usuário\Configurações locais\Temp

Observações:

Histórias como esta acima são contadas todos os dias em nossos laboratórios.

05. O que é e como funciona a Lixeira do Windows?

A lixeira do Windows é um recurso que funciona como um arquivo morto. Assim que um arquivo é excluído o mesmo é movido para um arquivo morto com capacidade pre-determinada pelo Sistema Operacional chamado de Lixeira. Normalmente o espaço reservado para a lixeira é de 10% da capacidade de armazenamento da partição. Se o arquivo morto (lixeira) se encher e não tiver mais espaço, os arquivos que foram colocados nele a mais tempo serão descartados para dar lugar aos arquivos mais novos.

Nesse momento, quando os arquivos mais velhos são liberados da lixeira, o Windows retira o endereçamento deles das tabelas de partição (FAT ou NTFS). Desta forma a área onde estes arquivos estavam armazenados fica disponível para uso. Ou seja, não existe mais qualquer tipo de proteção para eles. Enquanto a área em que os arquivos estavam não for sobreposta ou gravada por outra informação ainda será possível recuperar os arquivos. Mas se qualquer outra informação sobrescrever os setores do disco onde estava o arquivo, a recuperação do mesmo será impossível.

O simples fato de ligar o computador e baixar e-mails ou ver qualquer página da web gera gravação de dados no disco. Estes dados poderão ser gravados exatamente sobre os arquivos que foram apagados. Se isso acontecer… esqueça…

06. É possível recuperar arquivos que foram excluídos da Lixeira?

Em alguns casos sim. Desde que o local onde os arquivos estavam armazenados não tenha sido sobrescrito por outras informações, teoricamente ainda é possível recuperar os dados do arquivo.

07. Como ocorre a corrupção de um arquivo?

A maioria dos casos de corrupção de dados em arquivos se deve ao fato do arquivo estar em uso no momento em que ocorre algum tipo de problema no funcionamento do dispositivo de armazenamento em que o mesmo está gravado.

Desta forma as alterações realizadas na memória não podem ser gravadas no dispositivo ou são gravadas incorretamente. Alguns tipos de arquivos são extremamente frágeis.

O fato de uma máquina ser resetada com o arquivo aberto pode gerar a corrupção do mesmo. Também podem ocorrer corrupção de arquivos quando um arquivo é copiado de um dispositivo para outro e por algum motivo os dados não são gravados corretamente.

08. É possível recuperar ou reparar arquivos corrompidos?

Em alguns casos sim. Para saber se realmente é possível ou não, é necessário realizar uma avaliação detalhada no arquivo.

09. Tipos mais comuns de arquivos corrompidos

Nenhum arquivo é completamente imune a corrupção de dados. Embora programas e bancos de dados sempre utilizam técnicas avançadas para evitar corrupção, mesmo assim eventualmente elas podem ocorrer. Os tipos mais comuns são:

  • Arquivos do Microsoft Office (Microsoft Word, Microsoft Excel, Microsoft Powerpoint, Microsoft Access)
  • Arquivos de Banco de Dados (Microsoft SQL, MySQL, Oracle, Sybase, .DBF, .DB, Interbase, Firebird)
  • Arquivos de Backup e Compactadores (Zip, RAR, PKUnzip, Microsoft Backup)
  • Arquivos de Emails (Outlook Express, Lotus Notes, Microsoft Outlook, Microsoft Exchange)

10. Recuperação de Arquivos após a formatação de um HD

Quando um HD é formatado e reinstalado o sistema operacional ou gravado dados no mesmo, o resultado do processo de recuperar dados é incerto. Várias situações podem ocorrer. As principais são:

  • Os dados são recuperados com sucesso.

* Isso significa que as áreas onde os arquivos estavam armazenados e as lista de nomes dos arquivos não sofreu qualquer tipo de sobreescrição de dados.

  • Os arquivos são recuperados mas não funcionam

* Isso significa que a lista com os nomes de arquivos foi recuperada mas o local onde os arquivos estavam armazenados houve sobreescrição.

  • Os arquivos não são recuperados

* Isso significa que tanto a lista de nomes de arquivos bem como o conteúdo dos arquivos foram sobreescritos.

  • Os arquivos são recuperados, porém os nomes e a as pastas são perdidas.

* Isso significa que embora a lista de nomes de arquivos foi sobreescrita, é possível recuperar os arquivos diretamente no disco em baixo nível. 

  • Os arquivos são recuperados mas funcionam parcialmente.

* Isso significa que parte dos dados foi sobreescrita e outras não.

Nota: Nos resultados citados acima, nós consideramos que os procedimentos foram executados por um especialista na área de recuperação de dados. Nós recebemos inúmeros casos que embora tenham sido considerados impossíveis de recuperação por terceiros, ainda assim, é possível recuperar muitas informações.

11. Recuperei os dados após uma exclusão, mas os arquivos não funcionam. O que fazer?

Se você fez uma tentativa de recuperação dos dados sem sucesso e os arquivos não funcionaram, não escreva mais nada no HD. Procure uma empresa especializada para certificar se existe mais alguma coisa que possa ser feita.

12. Qual a diferença entre ter uma informação e ter um backup?

Backup é sempre a segunda cópia da informação. Se você tem somente uma cópia da informação você não tem um backup , você tem apenas a informação.

13. Como contratar o serviço de recuperação de arquivos?

É muito simples contratar o serviço de recuperação de arquivos. Para isso basta nos enviar seu disco rígido ou dispositivo de armazenamento de dados. Veja algumas recomendações abaixo para facilitar todo o processo:

14. Quanto tempo será necessário para recuperar meus arquivos?

O tempo necessário para recuperar arquivos depende de diversos fatores, principalmente do estado da mídia. Pode demorar de 06 horas a vários dias. Veja também o tópico Recuperação Remota de Dados.

15. Quanto custa o serviço para recuperar arquivos?

Veja as informações sobre este tópico em orçamento.

16. Eu posso fazer um orçamento sem compromisso?

SIM. Para fazer um orçamento sem compromisso e sem nenhum custo de avaliação, basta preencher o cadastro e nos enviar a sua mídia. A única despesa que o cliente terá é o frete. Veja também a opção de recuperação remota de dados.

17. Como é tratada a questão do sigilo de informações?

Ao requisitar os serviços da Digital Recovery, o contratante fica totalmente resguardado quanto ao sigilo das informações. O nosso trabalho segue um código de ética de privacidade total em relação a todos os dados resgatados. Não cedemos nem fazemos uso de qualquer informação contida nas mídias de nossos clientes.

O cliente também poderá requisitar um contrato de confidencialidade de informações.

18. O que é recuperação remota de dados? Posso utilizar este serviço?

É um processo que permite recuperar dados remotamente. Para mais informações consulte o tópico sobre recuperação remota de dados.